Dúvidas Frequentes

A Microfisioterapia é uma técnica científica?

Hoje, considera-se ciência o que foi avaliado. O fisioterapeuta que trabalha com Microfisioterapia foi objeto de mais de trinta tipos de avaliações, algumas em meio hospitalar e de acordo com protocolos rigorosos (duplo cego) mostraram o efeito benéfico da técnica de 74% de pacientes que sofriam de colopatia crônica. Investigações em laboratórios foram efetuadas da mesma forma referentes aos ritmos vitais do organismo vivo. Na Europa foram realizados 42 trabalhos científicos, no Brasil as pesquisas estão sendo realizadas, pacientes estão sendo examinados através das respostas do sistema nervoso autônomo e da variabilidade cardíaca antes e depois da sessão, para que os resultados sejam examinados. Na Europa são 5.000 profissionais, lá o governo ja reconhece a microfisioterapia e paga por esse tipo de sessão, vendo-se tamanho benefício, na qualidade de vida, diminuição de medicamentos e bem-estar das pessoas.

 

Como é a sessão de Microfisioterapia?

Durante a sessão, às células em desarmonia são identificadas através de toques sutis específicos. o fisioterapeuta faz micropalpações no tecido afetado, que é a origem do trauma para re-informar o organismo a presença dessa cicatriz para que o corpo possa reconhecer esse agressor e iniciar o processo de autocura do organismo.

Como o corpo foi estimulado a eliminar os agentes agressores, poderão surgir reações físicas (cansaço, diarréia, vômito,febre, etc) e/ou emocionais (irritabilidade, raiva, tristeza, etc), geralmente sutis, muitas vezes imperceptíveis. Isso acontece como sinal de liberação das memórias agressoras, onde paciente deve então descansar e deixar o sistema imunológico trabalhar, com o mínimo de interferência medicamentosa possível, não esquecendo de beber muita água.

A duração de cada sessão pode variar em torno de 60 minutos, depois da sessão, é preciso um tempo para o corpo se autocorrigir.

É mais ou menos como quando se fratura um osso: espera-se um tempo para a correção do problema, depois que se engessa a área fraturada. Assim, o intervalo entre as sessões deve ser aproximadamente, de 30 a 60 dias. São necessárias de 3 a 4 sessões por queixa.

Após a alta, o paciente pode fazer uma "manutenção", somente para a prevenção, ou quando houver algum novo evento de perturbação e/ou agressão. Duas ou três sessões anuais podem ser realizadas para manter um bom estado de saúde. Por último, certas patologias evolutivas podem se beneficiar de sessões regulares.

Porque a Microfisioterapia pode me ajudar?

Diariamente, o nosso corpo luta contra agressões de todas as naturezas e diferentes intensidades, provindo do exterior (micróbios, toxinas, choques físicos ou emocionais) ou o inferior (fraqueza de um órgão, cansaço, problemas existenciais). Muitas são as situações que geram emoções fortes que podem desequilibrar o nosso organismo. Quando um trauma acontece, seja emocional, toxicológico ou físico, ele provoca uma mudança em nível celular. Podemos superá-lo sem marcas como a situação pode deixar cicatrizes, sinais que vão continuar afetando o organismo sem que tomemos ciência disto. Os sintomas dão o alerta de que algo não está bem. Quando eles se tornam crônicos, como dores e doenças que não curam, fica ainda mais evidente que há um porquê por traz de tudo isso. A Microfisioterapia vai ajudar na eliminação natural destas memórias que enfraquecem o nosso organismo.

 

Quais os benefícios da Microfisioterapia?

  • Melhoria do estado emocional;
  • Tratamento das dores;
  • Estimulação do sistema imunológico;
  • Identificação da causa primária de um sintoma ou de uma doença;
  • Promoção de saúde;
  • Prevenção de doenças.

Quais são às indicações da Microfisioterapia?

 

  •     Lesões traumáticas e esportivas;
  •     Dores físicas agudas ou crônicas;
  •     Disfunções gastrointestinais;
  •     Disfunções hormonais;
  •     Enurese noturna e incontinência urinária;
  •     Disfunções sexuais;
  •     Alergias e problemas de pele;
  •     Enxaquecas e Cefeléias;
  •     Distúrbios de sono;
  •     Distúrbios de peso;
  •     Distúrbios somato-emocionais ( depressão, pânico, ansiedade, fibromialgia, fobias, medos, traumas, perdas, frustrações, estresse, baixa autoestima, submissão. 
    etc.);
  •     Tiques nervosos;
  •     Prevenção de doenças;
  •     TDAH.

A Microfisioterapia não se opõe à medicina de emergência (drogas, cirurgias etc.), uma vez que não age diretamente no sintoma como um remédio de emergência, mas, sim, em sua causa, por isso os dois procedimentos são complementares.

Pode ser realizada em qualquer idade: em recém-nascidos; portadores ou não de necessidades especiais; jovens, adultos e idosos; esportistas; gestantes.

Agende seu horário